Namorado de Kelly Cadamuro ‘quebra silêncio’ e revela detalhes do dia da morte

A jovem radiologista tinha apenas 22 anos de idade. Ele foi morta após combinar carona através do WhatsApp.

O caso Kelly Cristina Cadamuro tomou conta dos noticiários nos últimos dias. A jovem de apenas 22 anos foi assassinada friamente após combinar uma carona  através de um aplicativo de mensagens pelo celular.

Infelizmente, a viagem da radiologista terminou de maneira trágica. No entanto, a morte de Kelly levantou um debate sobre o assunto. Se realmente é seguro pegar ou oferecer carona para pessoas desconhecidas, mesmo que seja feito através de aplicativo próprio para esse fim. Para a jovem foi uma viagem sem retorno.

O namorado da vítima decidiu quebrar o silêncio e contou detalhes sobre o dia da morte de Kelly Cadamuro .

Em uma entrevista concedida neste domingo (05), para o Fantástico da Rede Globo, Marcos contou que estava em sua residência esperando a jovem. O casal iria passar o feriado de finados juntos em Itapagibe, cidade onde o namorado de Kelly reside.

Marcos contou que conhecia a jovem já há dois anos. Segundo ele, apesar de morarem em estados diferentes, o namoro a distância nunca foi um problema para o casal. Eles planejavam um futuro juntos e sonhavam com o casamento e também em ter filhos.

A jovem radiologista residia em Guapiaçu, município localizado na região noroeste do estado de São Paulo. No entanto, Kelly estava trabalhando em São José do Rio Preto, uma cidade vizinha de onde morava. O casal que era muito apaixonado e não gostava de ficar muito tempo sem se ver. Por isso, sempre que podia a radiologista pegava a estrada e ia ao encontro do namorado no triângulo mineiro.

A jovem tinha o costume de ofertar carona em um grupo do WhatsApp. O grupo criado em um aplicativo de mensagens tinha esse objetivo. O intuito é ratear os custos da viagem, ficando dessa maneira mais barato para ambos os viajantes. E foi isso que Kelly Cadamuro fez na última quarta-feira (01), porém o que ela não sabia é que o carona tinha outras pretensões.

Marcos disse que chegou a alertar a namorada e pediu que ela tomasse cuidado. Ele disse que quando Kelly parou de responder as suas mensagens pelo WhatsApp, pensou que ela tivesse tido algum problema com o veículo. No entanto, nunca passou pela cabeça que havia ocorrido uma barbaridade tão grande. Porém, à medida que o tempo passava sem notícias, ele começou a ficar desesperado com a falta de informações.

Visivelmente abalado com a situação, o namorado de Kelly Cadamuro contou que também participava de grupos de carona e que isso podia acontecer com qualquer pessoa. Ele ainda fala que a morte de sua namorada não pode ficar sem punição, pois qualquer pessoa poderia ter sido vítima da atrocidade.

FONTE: blastingnews.com

 

Compartilhe