Pedófilo portador do vírus da AIDS estupra criança de sete anos

Menino de sete anos visitava abusador com consentimento da mãe, que acreditava que filho era bem cuidado.

A Polícia Civil do Paraná prendeu na tarde desta quinta-feira (9) o suspeito de abusar sexualmente de uma criança de sete anos na cidade de Santa Terezinha do Itaipu, no estado do Paraná. As autoridades descobriram ainda que o menino frequentava a casa do estuprador com consentimento da mãe, que acreditava que a criança ficava na residência jogando video game. Durante exames, foi descoberto que o acusado é portador do HIV, o vírus da AIDS.
A polícia descobriu o crime depois que o suspeito levou a vítima até uma unidade de saúde da cidade de Santa Terezinha. No local, os médicos constataram que o menino estava passando mal por ter ingerido uma espécie de calmante. Policiais militares que estavam na unidade logo passaram a informação para a Polícia Civil, ainda mais que o homem não tinha parentesco com a vítima.
Após a prisão do suspeito, as autoridades interrogaram o garoto de sete anos. A criança garantiu que sempre fe foi abusada sexualmente sob o efeito de medicamentos. Exames feitos também na vítima comprovaram o ato criminoso do abusador. No entanto, as autoridades não informaram se o garoto contraiu ou não o vírus HIV durante os abusos. Do outro lado, o suspeito segue negando todas acusações.
A mãe da vítima também será indiciada e poderá perder a guarda do filho. A mulher está sendo acusada de abandono de menor.
Paraná registra mais um caso no final de semana
No último final de semana, um pai flagrou um primo de segundo grau estuprando o filho. O caso aconteceu no sábado (4), na cidade de Turvo, pequeno município do Paraná. A família estava visitando parentes quando tudo aconteceu. Às 4h da manhã, os residentes e os visitantes ouviram o garoto de sete anos gritar. Quando chegaram ao quarto de ontem vinham os gritos, o rapaz de 22 anos estava nu, em cima da criança e a segurando. A vítima ainda relatou que o primo chegou a tapar a sua boca durante o abuso sexual.
O que indigna a população local é que após o crime, o rapaz apenas passou por interrogatório e não detido. O jovem responderá o crime em liberdade.

FONTE:  news365.com.br

Compartilhe